Tratamento TOC

O que é TOC

“TOC” já virou uma expressão comum e muita gente diz ter TOC quando tem alguma mania do tipo verificar várias vezes se trancou o portão ou ajeitar quadros tortos. De fato, atualmente é muito comum ouvir a expressão TOC (sigla para Transtorno Obsessivo-Compulsivo) sendo usada no dia-a-dia das pessoas. Sempre que notamos que alguém é organizado, que gosta das coisas “limpas” ou que checa algumas vezes. se desligou o gás ou fechou a porta de casa é comum que pensemos “essa pessoa deve ter TOC”, ou “é o TOC falando mais alto”.

Antes de detalharmos qual o limite para realizar o diagnóstico ou, ao menos suspeitar que algo está muito intenso, é necessário entendermos o que são Obsessões e Compulsões, que fazem parte da definição de TOC.

Obsessão é um PENSAMENTO
É um pensamento que “invade” nossa mente, sem que consigamos freá-lo. É um pensamento nosso mas involuntário, que muitas vezes não concordamos, e que causa muito incômodo e ansiedade na pessoa. Todos nós podemos ter um pensamento obsessivo em alguns momentos. Um trecho de uma música, as vezes da qual não gostamos, que permanece vindo em nossa mente sem que queiramos, gerando por vezes muita irritação, tem um caráter obsessivo.

A COMPULSÃO, está ligada a um comportamento
É algo que “precisamos” fazer para aliviar um pensamento ou uma sensação ruim. A pessoa tenta, as vezes, controlar a ação, “não fazer”, mas é muito difícil e acabamos cedendo. Da mesma forma, isso também faz parte do nosso cotidiano. Comer um doce, comprar um vestido, arrumar algo que está bagunçado. Todas essas ações podem ter um caráter compulsivo em alguns momentos.

TOC

PROCURE AJUDA

Para quem é indicado?

Para falarmos que alguém tem TOC, a pessoa precisa ter Obsessões E/OU Compulsões e observarmos 3 elementos:

  • Tempo: A pessoa fica mais de 1 hora por dia imersa em Obsessões ou realizando Compulsões
  • Sofrimento: A pessoa sofre muito com os pensamentos ou com as ações que realiza, achando-os "sem sentido", mas não conseguindo evitar
  • Prejuízo profissional, social, em relacionamentos ou em outras áreas importantes da vida devido aos sintomas ( os sintomas do TOC começam a "atrapalhar" a rotina, evitando que a pessoa faça coisas importantes ou fazendo com que ela demore muito nesse processo)
  • Receio de contaminação e necessidade de lavagem repetitiva
  • Necessidade de ordem ou simetria
  • Acumulação de objetos, com dificuldade de desfazer deles
  • Pensamentos de verificação
  • Religião ou com conteúdos sexuais

Como funciona?

1

Avaliação

Para compreender como funciona o tratamento do TOC é importante entender quais são as causas deste transtorno.

Plano de tratamento

Estimulação Magnética no tratamento do TOC. A EMT ou TMS é uma técnica não invasiva, indolor, que não requer anestesia ou sedação. Ela consiste em estimular áreas específicas do córtex cerebral através de um ímã (bobina magnética). Isso gera um campo eletromagnético que atravessa nosso crânio sem causar dor ( assim como os pulsos do nosso forno de microondas) e atingem a área específica no cérebro que queremos estimular.

Mindfulness. Técnica de re-aprendizado cognitivo que consiste em um treinamento de focalizar a atenção em reações físicas corporais, assim como em pensamentos e sentimentos, inibindo processos de julgamento, crítica ou tentativa de mudança das sensações. Dessa forma, esse treino "inibe" hiperativação do córtex orbitofrontal, permitindo ao paciente se conectar ao momento presente e não realizar os rituais e compulsões. É uma ferramenta nova ainda no Brasil mas já utilizada em diversos centros mundiais, notadamente na Universidade de Harvard e Oxford. Essa técnica é derivada, em parte, de conceitos de meditação oriental, somados a conceitos modernos de neurociência. Assim, não possui caráter religioso ou esotérico de meditações orientais, mas potencializa seus efeitos benéficos.

Psicoterapia. O tipo de terapia mais eficaz para o TOC é a chamada Terapia Cognitivo Comportamental, que muitos já ouviram falar. De forma simples o objetivo da terapia é ajudar a pessoa com TOC a tentar não lutar contra os pensamentos ou contra as sensações ruins que aparecem, deixá-los vir, sem tentar evitar. Juntamente com isso, evitar, sim, ao máximo, fazer os comportamentos ou compulsões para aliviar essas sensações ruins. Numa primeiro momento parece desafiador e muito difícil. Mas um bom profissional de terapia vai, junto com o indivíduo e, NO TEMPO E NA INTENSIDADE QUE CADA PESSOA TOLERAR, adotando essas estratégias o que leva a uma diminuição das obsessões e compulsões.

Medicamentos: As medicações utilizadas para o TOC NÃO CAUSAM DEPENDÊNCIA. São medicações que visam diminuir a ansiedade gerada pelas obsessões e compulsões, restabelecendo níveis do neurotransmissor serotonina. Assim, as medicações de primeira linha são os antidepressivos serotoninérgicos. Algumas outras medicações mais modernas também atuam também em outros neurotransmissores, como a dopamina e glutamato e podem ser associadas ao antidepressivo em casos de não resposta. O médico especialista vai, juntamente com cada indivíduo, escolher a medicação mais eficaz com o menor perfil de efeitos colaterais, visando um controle máximo dos sintomas.

Agende uma consulta com nossos especialistas.